sábado, 30 de janeiro de 2016

Como ler valores em resistores


O valor da resistência de um resistor é apresentado por faixas coloridas conhecidas como código de cores de resistores. Cada faixa de cor representa um algarismo.

No mercado é bastante comum encontrarmos resistores na cor bege de 4 faixas, mas também existem resistores de 5 faixas. Os de cinco faixas são na maioria das vezes na cor azul claro. Caso você se depare com um resistor de 5 faixas, não se preocupe, ele é exatamente igual ao de 4 faixas, a única diferença é que este apresenta uma precisão maior.
Veja a seguir a tabela de código de cores usada para a leitura destes resistores.

Olhando para esta tabela a leitura do código de cores parece complexa, mas a leitura é bastante simples. Basta ter a tabela em mãos e fazer a leitura. Veja a seguir um exemplo:



Note no resistor da imagem acima que da mesma forma que é mostrado na tabela de cores, temos três faixas mais próximas uma das outras agrupadas de um lado do resistor (estas três faixas são o valor da resistência do resistor) e uma faixa dourada do outro lado (esta faixa é a precisão deste resistor).
O primeiro passo é identificar esta disposição da faixas e colocar a faixa única que indica a precisão do resistor para o lado direito. Agora é só utilizar a tabela e fazer a leitura do valor da resistência.
Neste caso temos VERMELHO – VERMELHO – MARROM – DOURADO.


Então lemos da seguinte maneira, a primeira faixa vale dois, a segunda vale dois, desta forma temos 22, a terceira é a faixa multiplicadora que neste caso é vezes 10. Assim multiplicamos 22 x 10 = 220Ω. E a última faixa que representa a tolerância ou precisão do resistor é dourada que representa 5%.
Sendo assim concluímos que este resistor é de 220Ω +/- 5%. Isso significa que o resistor possui uma resistência de 220Ω e este valor pode variar 5% para mais ou para menos. Desta forma sua resistência pode estar na faixa de 209Ω a 231Ω.
Gostou deste post? Teve alguma dúvida. Deixe seus comentários e perguntas que responderemos com prazer.

Por Lucas Gusmão

0 comentários:
Enviar um comentário