terça-feira, 6 de maio de 2014

Seu carro é seguro???














-por Enio Figueiredo-

Provavelmente você já deve ter lido a reportagem de Bradley Brooks veiculada pela AP (Associated Press), com o título "Carros fabricados no Brasil são mortais".
Por exemplo, o Renault Sandero, carro que tem boa reputação, quanto a segurança, na europa, recebeu apenas 1 estrela para adultos e 2 para crianças. Numa escala que vai de 1 a 5.

Nos "roubam" depois nos matam!


Texto da AP: "Carros com estrutura mais fraca e coluna de direção frágil propiciam o choque do volante contra o peito e abdômen do motorista em colisões frontais, a forma mais comum e mortal de trauma, causando sérios danos aos órgãos vitais"

E ainda segundo agencia, os carros populares brasileiros são 20 anos mais atrasado quando comparados aos de países desenvolvidos.Em teoria um carro X vendido no Brasil deveria ser o mesmo, no mínimo no que diz respeito a segurança, do que um carro X que é vendido na Europa ou EUA. O que está longe de ser verdade. Veja pelo link, o resultado dos testes publicados pela exame

A matéria destaca a carência de zonas de conforto, a fragilidade das colunas de direção e soldas pobres, dentre outros.
Mas na prática qual seria a implicação? Resposta:
 "A diferença que você está falando é de alguém morto no veículo ou morrendo muito rapidamente, ou então alguém sendo capaz de sair do veículo sozinho", disse David Ward, diretor-geral da Fundação FIA, em Londres.
Bem, mas toda essa insuficiência e má qualidade não seria uma consequência da baixa margem de lucro da industria automotiva? Antes fosse. Enquanto nos EUA esta margem gira em torno dos 3%, aqui no "país de todos" ela flutua, nada mais nada menos do que incríveis 10%.

QUEM É O VERDADEIRO CULPADO?

O custo, definitivamente não é, pois com os preços estratosféricos que nos são cobrados, os carros poderiam sim, vir com muito mais recursos de segurança e com maior qualidade estrutural, sem comprometer uma margem de lucro que fosse razoável. Por exemplo, um conjunto de airbag duplo instalado, sai para o fabricante em torno de R$150. Segundo o uruguaio Alejandro Furas, diretor técnico dos programas globais do padrão LATIN NCAP.

Não tenho dúvida alguma que um dos grandes vilões desta história é o próprio brasileiro. Somos você e eu. Pois somos desinformados, desinteressados e conformistas. Se não me engano, nos anos 70, essa triste condição também fez parte da vida do americano. A atual realidade para eles, não se iluda, veio apenas através da mudança de perspectiva do cidadão quanto ao seu fundamental papel no processo como um todo. À medida em que se torna mais informado e conhecedor de seus direitos, torna-se mais exigente e intransigente quando ameaçado, neste caso, por empresários movidos por sordida ganância, em detrimento da vida humana.

Foto por digitizedchaos
https://farm3.staticflickr.com/2548/3964206549_b08185ba4f_z.jpg?zz=1

0 comentários:
Enviar um comentário